• Português
  • English
logo
  • Marque uma consulta
    (31) 3141 4294
  • Tire suas dúvidas
    (31) 9 8428 7983
  • Otoplastia

    Otoplastia

    A otoplastia corrige deformidades, predominantemente, congênitas – a mais comum delas é a orelha em abano ou orelhas proeminentes. Essas alterações surgem ainda intraútero e tendem a piorar até o crescimento completo do pavilhão auricular. Consistem em um aumento do ângulo (abertura da orelha) em relação à cabeça e alterações (apagamento ou inexistência) de alguns contornos e relevos da orelha.

    Através de um corte posterior na orelha, é realizada a modelagem da cartilagem e aproximação em relação a cabeça. Como o desenvolvimento completo do pavilhão auricular ocorre entre os 5 e 7 anos de idade, é prudente aguardar o amadurecimento completo para realizar uma cirurgia plástica.

    Habitualmente, adotamos somente o ambiente hospitalar para realização destes procedimentos, pois a maioria deles disponibiliza o CTI para suporte, conferindo maior segurança e conforto a pacientes e familiares.

    Se você apresenta alguma queixa em relação à forma da sua orelha, você tem indicação para se submeter a uma otoplastia. Agende uma consulta especializada.


    Dúvidas frequentes

    1) Como identificar a orelha em abano?

    A orelha em abano é uma deformidade congênita, geralmente bilateral. Caracteriza-se pela  abertura da orelha ou um aumento do ângulo em relação à cabeça e/ou alterações de alguns relevos e dobras da cartilagem auricular.

    2) Qual é a melhor época para operar?

    Esta cirurgia é indicada para crianças a partir da idade pré-escolar, ou seja, após 5 a 7 anos de idade. Nessa fase, a estrutura cartilaginosa das orelhas já está totalmente formada e qualquer crescimento posterior pode ser considerado insignificante.

    3) Com até que idade a correção das orelhas em abano pode ser feita?

    Não existe idade máxima para a cirurgia. A cartilagem pode ser modelada em qualquer fase da vida, inclusive a adulta.

    4) A otoplastia deixa cicatriz?

    Por localizar-se atrás da orelha, no sulco formado entre ela e o crânio, a cicatriz dessa cirurgia é praticamente invisível. Além do mais, como se trata de uma região em que a pele é muito fina, a própria cicatriz tende a ficar imperceptível.

    5) Que tipo de anestesia é utilizado?

    Em crianças, opta-se por anestesia geral ou anestesia local com sedação. No caso dos adultos, a anestesia pode é local com ou sem sedação – fica a critério do paciente.

    6) Quanto tempo dura a internação?

    O período de internação compreende a preparação antes da cirurgia, o procedimento operatório e a recuperação anestésica. Quando a anestesia é geral a internação costuma durar em média 4 horas. Em caso de anestesia local com sedação, esse período pode durar entre 6 e 8 horas.

    7) Como a cirurgia é feita?

    A cirurgia realiza a modelagem da cartilagem, visando a obter parâmetros anatômicos mais harmônicos, além de aproximar o pavilhão auricular do crânio. A confecção de pontos internos mais o enfraquecimento de determinadas porções da cartilagem constituem os aspectos fundamentais da cirurgia.

    8) Quanto tempo dura a operação?

    A cirurgia bilateral dura em torno de 90 minutos enquanto a cirurgia unilateral dura cerca de 20 minutos.

    9) Quais são os riscos da cirurgia?

    O risco da cirurgia está relacionado com a resposta do indivíduo às substâncias anestésicas ministradas, assim como em qualquer outro procedimento cirúrgico, inclusive dentário.

    10) O pós-operatório é doloroso?

    Geralmente, não. Caso haja dor, os analgésicos habituais conseguem minimizá-la.

    11) Como é o curativo?

    No primeiro dia, é necessário proteger a orelha com uma espécie de touca a fim de evitar traumatismos locais – principalmente em crianças. Nos dias subsequentes, recomenda-se usar uma faixa de lycra para manter as orelhas completamente fechadas, por 24 horas, durante 30 dias.

    12) Quanto tempo depois da cirurgia os pontos são retirados? Dói?

    Entre 10 a 15 dias. A retirada é indolor.

    13) Depois de quanto tempo o resultado definitivo começa a aparecer?

    Assim que se retira completamente o curativo – 60 dias depois da cirurgia – o resultado já se apresenta 80% próximo ao definitivo. Após 18 meses, o resultado poderá ser considerado definitivo.

    14) Quais são as intercorrências mais comuns da otoplastia?

    Presença de inchaço (edema), equimoses (manchas roxas), drenagem de secreção sanguínea clara pela cicatriz, entre outras.

    15) Que intercorrências raras podem ser observadas no pós-operatório?

    Hematoma ocasionado pelo acúmulo de sangue nas orelhas, infecção na região dos pontos, reação alérgica ao material do fio cirúrgico, necrose (perda ou morte da pele), dor persistente no pavilhão auricular por intolerância ao ponto, etc.

    16) Existe o risco de reincidência?

    Sim. Isso pode acontecer devido a uma deiscência ou soltura dos pontos internos, comumente em decorrência da abertura da orelha durante o sono, da ausência do curativo, ou no caso de um trauma involuntário. Uma nova correção pode ser programada após um período de seis meses.

    17)  As orelhas ficam simétricas, completamente iguais?

    Não. É natural e esperado que ocorra uma discreta assimetria entre elas. Em primeiro lugar, porque em todos nós já existe uma assimetria, em maior ou em menor grau. Depois, porque as deformidades em abano não são exatamente iguais em seus ângulos e parâmetros – tamanho do pavilhão e lóbulo.

    18) Que situações podem interferir no resultado da cirurgia?

    Trauma local durante os primeiros seis meses de cirurgia, não usar faixa ou malha de contenção das orelhas pelo período recomendado, limpeza incorreta da cicatriz cirúrgica, deitar sobre a área operada na primeira semana, entre outras.

    Recomendações pré-operatórias

    1. Em caso de gripe, resfriado ou infecções, comunique até dois dias antes da cirurgia.
    2. Obedeça ao horário estabelecido para internação.
    3. Mantenha-se em jejum por um período de 8 a 12 horas antes da cirurgia.
    4. Lave os cabelos na véspera.
    5. Evite o uso de todo e qualquer medicamento à base de ácido acetilsalicílico (AAS, Aspirina, Engov, Melhoral, Doril, Bufferin, Sal de frutas, Sonrisal, Alkaselser, Gincobiloba, etc.) ou qualquer medicação com efeito anticoagulante pelo menos 15 dias antes da cirurgia.
    6. Leve todos os exames, inclusive o de risco cirúrgico, com termo de autorização para cirurgia e consentimento informado devidamente assinados no dia da cirurgia.

    Recomendações pós-operatórias

    1. Evite sol, friagem, vento e traumatismos locais por um período de 10 dias.
    2. Compareça ao consultório para controle pós-operatório nos dias indicados pelo médico.
    3. Obedeça à prescrição médica.
    4. Retorne às atividades escolares e/ou profissionais dois dias após a cirurgia.
    5. Utilize a faixa elástica ou bandana cobrindo completamente as orelhas, durante o dia, por 30 dias.
    6. Vista uma meia calça adaptada cobrindo completamente as orelhas ao dormir, por 60 dias.
    7. Evite deitar sobre a área operada ou de lado por 45 dias.
    8. Obedeça a todas as orientações médicas contidas no manual Informativo de Otoplastia.
    9. Evite o uso de todo e qualquer medicamento à base de ácido acetil-salicílico (AAS, Aspirina, Engov, Melhoral, Doril, Bufferin, Sal de frutas, Sonrisal, Alkaselser, Gincobiloba, etc.) ou qualquer medicação com efeito anticoagulante pelo menos 15 dias depois da cirurgia.