• Português
  • English
logo
  • Marque uma consulta
    (31) 3141 4294
  • Tire suas dúvidas
    (31) 9 8428 7983
  • Mentoplastia

    Mentoplastia

    Assim como o nariz, o queixo desempenha um importante papel nas características de proporção facial. De forma geral, sua projeção acompanha uma linha vertical perpendicular a raiz nasal. Além do nariz, o queixo deve estar em perfeito equilíbrio com a boca, olhos e a fronte.

    A sua projeção e forma nos homens é diferente nas mulheres. Geralmente, o queixo masculino é mais projetado e largo, ao passo que, em mulheres ele é menos projetado e mais fino. Além das distinções entre os sexos, existe uma variação de forma e contorno conforme as diferentes etnias ou grupos raciais, características familiares e fatores genéticos.

    Essa cirurgia pode ser de aumento ou de redução e prever o uso de materiais aloplásticos (próteses) ou a mobilização do próprio osso – provocada pelo avanço ou recuo da mandíbula.

    Uma avaliação completa das proporções faciais com estudo cefalométrico, tomografia elicoidal, fotografias, entre outros, deve ser realizada no período pré-operatório, afim de definir o melhor método cirúrgico.

    Se você apresenta alguma queixa relacionada à forma ou à posição do seu queixo, você tem indicação para se submeter à uma mentoplastia. Agende uma consulta especializada.


    Dúvidas frequentes

    1) Em que casos a mentoplastia é indicada?

    Pessoas que possuem o queixo muito largo, muito curto, muito protuso ou muito fino.

    2) Como a mentoplastia é realizada?

    Através de uma incisão na parte interna na cavidade oral, na gengiva, é possível acessar o mento ou prolongamento anterior da mandíbula. Tanto para avanços quanto recuos, realiza-se uma fratura linear horizontal com uma angulação milimetricamente calculada.

    3) É possível aumentar o queixo com prótese de silicone?

    Sim. Utilizando o mesmo acesso intra-oral é possível realizar a inclusão de uma prótese de silicone justa óssea.

    4) Quais são os prós e os contras da prótese de silicone em relação à mentoplastia?

    A inclusão de prótese é tecnicamente mais simples, mais rápida e é reversível. No entanto, está sujeita a um número maior de complicações como infecção, extrusão (eliminação), migração (mobilização para o lado, para baixo ou para cima)e desgaste ósseo (reabsorção). Ocorrências como essas implicam novas cirurgias.

    5) O que é prótese de Pórex ou Medpor?

    É a prótese usualmente utilizada para aumento ou projeção do queixo. Tem como principais vantagens a osteocondutividade – crescimento ósseo através dos seus poros – e a biocompatibilidade – diminuição da capacidade de rejeição. Apresenta, portanto, um menor índice de complicações como extrusão, migração e reabsorção óssea em relação à prótese de silicone.

    6) Quais são as desvantagens da prótese de Pórex?

    Como se trata de um material aloplástico (não biológico, e sim sintético), ele também está sujeito a complicações como extrusão, infecção e migração, embora em escala muito menor que o silicone. O Pórex demanda fixação com parafusos e, por isso, requer treinamento e materiais específicos. Além disso, seu custo é mais alto que o do silicone.

    7) Que vantagens a mentoplastia sem prótese oferece?

    Utiliza-se o próprio osso mentoniano (queixo) tanto para aumento quanto para recuo ou diminuição. A possibilidade de rejeição é quase nula, assim como o risco de extrusão. A migração do segmento ósseo mobilizado é mais difícil devido à utilização de placas e parafusos de contenção.

    8) Que tipo de anestesia é utilizado?

    A mentoplastia deve ser realizada com anestesia geral. Isso ocorre em função da dificuldade de bloqueio anestésico local.

    9) Quais são as desvantagens da mentoplastia sem prótese?

    O procedimento é mais complexo e exige conhecimento correto da técnica para executar a angulação precisa no momento da fratura. É necessário fazer um estudo cefalométrico prévio com cálculo da quantidade de tecido ósseo a ser mobilizado. Além desses fatores existem ainda o risco de infecção, hematoma, lesão do nervo mentoniano com perda momentânea da sensibilidade e recuperação mais lenta.

    10) Que intercorrências imediatas acontecem comumente?

    Dor leve, edema (inchaço), equimose (mancha roxa), pequena deiscência da sutura (abertura dos pontos), alterações temporárias na sensibilidade, entre outras.

    11) Que intercorrências imediatas raramente ocorrem?

    Infecção da ferida operatória, hematoma (coágulo de sangue), alergia aos fios cirúrgicos, trauma no nervo mentoniano ocasionando a diminuição da sensibilidade anterior da mandíbula e lábio inferior, mobilização do segmento ósseo avançado ou recuado.

    12) Que intercorrências tardias raras a literatura médica descreve?

    Osteomielite (infecção óssea), reabsorção do segmento ósseo mobilizado (seqüestro ósseo).

    13) O que pode ocasionar o surgimento dessas intercorrências?

    Fatores relacionados à capacidade de defesa, à resposta alérgica e cicatricial intrínseca, fatores genéticos, dieta irregular, hábitos sociais como tabagismo e sedentarismo, entre outros.

    14) Quanto tempo depois do procedimento a paciente pode ir para a casa?

    Recomenda-se um tempo mínimo de observação até que a recuperação aconteça. Esse tempo varia de paciente para paciente, conforme a técnica utilizada, a resposta ao trauma cirúrgico e a ausência de dor. Em média, a alta acontece entre seis e 24 horas após a cirurgia.

    15) É necessário usar algum curativo especial? Por quanto tempo?

    Sim, por um período mínimo de 7 dias, durante 24 horas por dia, deve ser utilizada uma bandagem discreta, porém firme, no queixo.

    16) Quanto tempo depois do procedimento o resultado pode ser considerado definitivo?

    O resultado final ocorre entre 12 a 18 meses.

     

    Recomendações pré-operatórias

    1. Obedeça às instruções dadas para o dia da cirurgia.
    2. Comunique qualquer anormalidade que eventualmente ocorra quanto ao seu estado geral.
    3. Evite ingestão de bebidas alcoólicas e alimentação copiosa no dia anterior a cirurgia.
    4. Evite usar medicamentos a base de ácido acetilsalicílico ou fórmulas para emagrecer até 10 dias antes da cirurgia.
    5. Compareça em jejum absoluto de no mínimo 8 horas e não traga objetos de valor para o hospital.
    6. Dirija-se ao local da cirurgia com um acompanhante.
    7. Leve todos os exames, inclusive o de risco cirúrgico, com termo de autorização para cirurgia e a declaração de recebimento dos termos devidamente assinados no dia da cirurgia.

    Recomendações pós-operatórias

    1. Evite esforços no dia da cirurgia, inclusive caminhadas longas ou subir escadas.
    2. Permaneça deitada com cabeceira elevada a 30 graus ou sentada nas primeiras 24 horas. Levante e movimente-se em casa, mas evite grandes esforços.
    3. Evite deitar de barriga para baixo ou de lado apoiando o queixo por 30 dias.
    4. Não se exponha ao sol com intuito de se bronzear por um período de 90 dias. Se for inevitável, use bloqueador solar.
    5. Volte ao consultório para os curativos subsequentes nos dias e horários estipulados.
    6. Não mastigue alimentos inteiros e grandes nas primeiras 72 horas. Recomenda-se ingerir alimentos pastosos como sopas, sorvete, gelatina e mais.
    7. Consulte o manual informativo sobre a sua cirurgia quantas vezes forem necessárias. Nele você encontrará essas e outras orientações essenciais para a sua recuperação.