• Português
  • English
logo
  • Marque uma consulta
    (31) 3141 4294
  • Tire suas dúvidas
    (31) 9 8428 7983
  • Blefaroplastia

    Blefaroplastia

    A indicação da blefaroplastia decorre, na maioria das vezes, da presença da aparência ou semblante cansado, da sensação de peso e queda palpebral e, em menor escala, de queixas visuais.

    Não é raro a presença de alterações nos quatro níveis: cutâneo (flacidez de pele), gordura (protusão de bolsas), muscular (desinserção, atrofia) e ligamentar (frouxidão).

    O planejamento cirúrgico deve seguir o diagnóstico prévio. Eventualmente, uma avaliação oftalmológica pode ser necessária  para afastar  patologias oculares concorrentes ou que contraindiquem a cirurgia.

    A abordagem cirúrgica deve ser individualizada. Seguindo as tendências e trabalhos científicos atuais, para pálpebras inferiores, estão previstas cicatrizes visíveis (blefaroplastia trans-cutânea) ou não visíveis (blefaroplastia trans-conjuntival). A indicação de cada uma pode ser discutida no exame fotográfico durante a consulta.

    O tratamento de um ou de todos os níveis determina a maior ou menor complexidade do procedimento.

    Habitualmente, adotamos somente o ambiente hospitalar para a realização destes procedimentos, pois a maioria deles disponibiliza o CTI para suporte, conferindo maior segurança e conforto a pacientes e familiares.

    Se você apresenta alguma queixa funcional ou estética palpebral , você tem indicação para se submeter à blefaroplastia. Agende uma consulta especializada.

    Pálpebras Inferiores (Externa)

    Pálpebras Inferiores (Interna)

    Pálpebras Superiores


    Dúvidas frequentes

     

    1) Existe uma idade ideal para operar as pálpebras?

    Não. Qualquer pessoa é susceptível a uma plástica palpebral, desde que haja queixas bastante específicas estéticas e/ou funcionais. A cirurgia é muito comum em adultos jovens. Muitas vezes, o primeiro sintoma se relaciona com uma dor de cabeça durante o esforço visual para ler ou assistir à TV, por exemplo. Em outras situações, o incômodo vem da presença de um inchaço ao redor dos olhos ao amanhecer.

    2) Quais são as indicações para a blefaroplastia?

    A blefaroplastia pode ter indicação estética ou funcional. A queda em determinados níveis das pálpebras superiores sobre a córnea pode interferir no campo visual, aumentar a fadiga ocular, e ocasionar dor de cabeça. Da mesma forma, o inchaço ao redor dos olhos, caracterizado pela protusão (projeção) das bolsas de gordura, denota um semblante cansado e envelhecido.

    3) Esta cirurgia corrige as rugas laterais ou pés de galinha?

    Não. A cirurgia mais indicada para esse tipo de correção é a cirurgia de rejuvenescimento facial ou ritidoplastia. Outras possibilidades menos intervencionistas, como aplicação da Toxina Botulínica, o preenchimento com Ácido Hialurônico, Peelings químicos ou Laser podem amenizar esse efeito.

    4) As cicatrizes são visíveis? Onde elas ficam?

    Em decorrência do fato de a pele das pálpebras ter espessura muito fina, as cicatrizes tendem a ficar praticamente disfarçadas nos sulcos da pele – algo que se espera que aconteça no período de maturação da cicatriz (cerca de 18 meses após o procedimento). Devido à sua localização, as cicatrizes podem ser disfarçadas com uma maquiagem leve desde os primeiros dias.

    5) Qual é o tipo de anestesia indicado para esse procedimento?

    A anestesia local associada à sedação é a mais indicada na maioria dos casos. A anestesia geral raramente é indicada.

    6) O pós-operatório é doloroso?

    Geralmente, não. Mesmo que ocorra uma sensibilidade maior ou pequenos surtos de dor, esses efeitos podem perfeitamente ser amenizados com o uso de analgésicos comuns.

    7) Os olhos ficam muito inchados? Por quanto tempo?

    O edema (inchaço) nos olhos varia de paciente para paciente. Em todos eles o maior inchaço é percebido nas primeiras 72 horas. A utilização de compressas frias embebidas em soro fisiológico gelado diminui a intensidade do edema. Somente após o terceiro mês é que o edema residual passa a ser discreto e não compromete o resultado final.

    8) É possível ir para a casa no mesmo dia da cirurgia?

    Sim, desde que não haja nenhuma condição clínica que impeça.

    9) Quanto tempo dura o procedimento?

    Normalmente, entre 90 e 120 minutos.

    10) O que são as manchas roxas observadas ao redor dos olhos?

    As manchas correspondem à infiltração do sangue na pele subjacente e mesmo na conjuntiva ocular. São chamadas de equimoses e não são consideradas uma complicação, mas sim, uma intercorrência transitória e reversível.

    11) A partir de quanto tempo já é possível observar um resultado satisfatório?

    12) Os olhos ficarão ocluídos (fechados) após a cirurgia?

    Não obrigatoriamente. Somente recomenda-se a colocação de compressas embebidas em soro fisiológico gelado por alguns minutos, várias vezes ao dia como forma de diminuir o inchaço.

    13) Quais são as intercorrências mais comuns descritas para esta cirurgia?

    É comum o inchaço, em maior ou menor grau, que pode praticamente fechar os olhos. Outras circunstâncias comuns são as equimoses (manchas roxas), hifema (hemorragia subconjuntival – olhos vermelhos), edema conjuntival e formação de uma secreção mais espessa.

    14) Quais são as intercorrências raras deste procedimento?

    Em casos muito isolados pode ocorrer hematoma retrobulbar, infecção da ferida operatória (conjuntivite infecciosa), fechamento incompleto das pálpebras (ectrópio), represamento da lágrima (logoftalmo) e outros.

    15) Que situações podem interferir na evolução pós-cirúrgica?

    Desobediência às recomendações e restrições médicas, fatores relacionados à capacidade de defesa, à resposta alérgica e cicatricial individual, fatores genéticos, hábitos alimentares e comportamentais como cigarro, medicamentos proibidos, drogas ilícitas, exposição solar, etc.

    16) Em que posição é recomendável dormir nos primeiros dias?

    Sempre com a cabeça discretamente elevada no leito, apoiada sobre um travesseiro – o ângulo mais apropriado é de cerca de 30 graus. Recomenda-se dormir com a face voltada para cima, nunca de lado.

    17) Quanto tempo depois da cirurgia o paciente pode tomar sol?

    Antes de tomar banhos de sol para bronzeamento, seja na praia ou na piscina, aconselha-se aguardar um período mínimo de 90 dias. Em qualquer outra situação, use filtro solar fator 60.

    18) É necessário fazer massagens? E drenagem linfática?

    Tanto a massagem nas cicatrizes, quanto a drenagem linfática manual no local operado devem ser realizadas diariamente, após as primeiras 72 horas e até três meses depois da cirurgia, no mínimo, quatro vezes por dia.

    19) Quais são os resultados esperados?

    É importante ter em mente que a blefaroplastia não proporciona rejuvenescimento geral à face quando executada isoladamente. Esse procedimento permite atenuar o aspecto cansado e envelhecido do olhar. Com uma abertura palpebral mais livre, o olhar perde a sensação de peso e inchaço comum no período matinal.

    20) O que pode interferir no resultado em longo prazo?

    Desobediência às recomendações médicas, ganho de peso, dieta irregular e hipercalórica, alterações hormonais (hipotireoidismo, diabetes, etc.), idade avançada, genética desfavorável, flacidez de pele aumentada ocasionada pelo envelhecimento cutâneo, consumo exagerado de bebidas alcoólicas, tabagismo, efeito cumulativo do sol, entre outros.

    Recomendações pré-operatórias

    1. Obedeça às instruções dadas para o dia da cirurgia.
    2. Compareça ao local da cirurgia no horário previsto na guia de internação.
    3. Comunique qualquer anormalidade quanto ao seu estado geral até a véspera da internação.
    4. Não use maquiagem no dia da internação.
    5. Traga óculos escuros.
    6. Evite todo e qualquer medicamento para emagrecer, antidepressivos, medicamentos a base de ácido acetilsalicílico, entre outros, por um período de 10 dias antes do ato cirúrgico.
    7. Interne-se no hospital indicado, em jejum de 8 horas, inclusive de água, obedecendo ao horário marcado.
    8. Compareça ao local da cirurgia com um acompanhante.
    9. Leve todos os exames, inclusive o de risco cirúrgico, com termo de autorização para cirurgia e a declaração de recebimento dos termos devidamente assinados no dia da cirurgia.

    Recomendações pós-operatórias

    1. Aplique compressas de gaze embebidas em soro fisiológico gelado, de 4 a 6 vezes ao dia, durante 40 minutos, nas primeiras 48 horas. Proteja os ouvidos para não molhá-los.
    2. Permaneça deitada com cabeceira elevada a 30◦ ou sentada nas primeiras 24 horas. Levante e movimente-se em casa, mas evite grandes esforços.
    3. Use óculos escuros ao se expor à luz.
    4. Evite esforço visual como leitura ou assistir à TV por 72 horas.
    5. Obedeça à prescrição médica.
    6. Volte ao consultório para curativo e revisão nos dias estipulados.
    7. Não traumatize nem coce os olhos.
    8. Somente se exponha ao sol para se bronzear após 90 dias.
    9. Use filtro solar com fator de proteção 60 todos os dias.
    10. Faça sessões de massagem e drenagem linfática após a retirada dos pontos, no mínimo 4 vezes por dia.