• Português
  • English
logo
  • Marque uma consulta
    (31) 3141 4294
  • Tire suas dúvidas
    (31) 9 8428 7983
  • Abdominoplastia

    Abdominoplastia

    A busca por uma silhueta perfeita remonta ao século XVIII, com a utilização do espartilho e do  corpete. A partir do século XX,  comportamentos neoliberais aumentaram a tendência de exposição do corpo.  Paralelamente, surgiu uma procura maior pela cirurgia plástica do contorno corporal. Da mesma forma, a evolução nas técnicas de cirurgia plástica do abdome vêm atender às necessidades da mulher moderna.

    A busca por cirurgias com cicatrizes cada vez menores e mais camufladas – umbigos anatômicos, cintura bem torneada e musculatura aparente – exigiu uma evolução nas técnicas de correção do abdome e contorno corporal. A associação de técnicas cirúrgicas e não cirúrgicas vem contribuir para uma melhora do resultado no pós-operatório.

    A diversidade nos tipos de abdome torna o planejamento cirúrgico individual, podendo conter desde uma cicatriz mínima, suprapúbica, até cicatrizes maiores para retirada dos excessos cutâneos.

    A obesidade, uma gestação prévia e o envelhecimento cutâneo são algumas das condições que levam à procura por este tipo de cirurgia. Outras situações menos comuns são as deformidades abdominais causadas por hérnias, o abdome em avental e defeitos da parede abdominal.

    Habitualmente, adotamos somente o ambiente hospitalar para realização destes procedimentos, pois a maioria deles disponibiliza o CTI para suporte, conferindo maior segurança e conforto a pacientes e familiares.

    Se você se enquadra em um ou mais dos casos descritos acima, você tem indicação para se submeter à abdominoplastia. Agende uma consulta especializada.

     

    Dúvidas frequentes

     

    1) Qual é a indicação para este procedimento?

    A abdominoplastia é indicada para corrigir a flacidez de pele associada ou não à flacidez da musculatura da parede abdominal e excesso dermogorduroso. Esse tipo de situação ocorre mais frequentemente em pacientes que sofreram um ganho de peso seguido de uma perda considerável.

    2) Quantos quilos é possível emagrecer com a dermolipectomia abdominal?

    Os fatores que determinam a quantidade perdida em quilos estão ligados ao volume do abdome, ao peso total e à distribuição e espessura de gordura no restante do corpo (tronco e membros) de cada paciente.

    3) A cirurgia do abdome deixa cicatriz muito visível?

    A cicatriz localiza-se horizontalmente logo acima da implantação dos pelos pubianos e prolonga-se lateralmente. Geralmente, fica escondida sob as roupas de banho. Em alguns casos, essa cicatriz horizontal pode conter uma pequena cicatriz vertical, exatamente na linha média, logo acima da implantação de pelos.

    4) Como a abdominoplastia é realizada?

    As técnicas para correção da flacidez e lipodistrofia abdominal descritas pela literatura médica são várias. A escolha da técnica leva em consideração o grau de flacidez dos tecidos, a quantidade de estrias, gordura abdominal e altura do umbigo – distância do púbis à cicatriz umbilical.

    5) É necessário fazer uma lipoaspiração juntamente com a abdominoplastia?

    A complementação da técnica compreende a correção da diástase da musculatura (afastamento dos músculos reto-abdominais) e lipoaspiração das porções laterais e superiores do abdome. Essa associação permite obter um melhor contorno da cintura.

    6) Qual é o tipo de anestesia utilizada?

    Na maioria das vezes, é indicada a anestesia peridural. No entanto, em casos isolados, pode ser utilizada a anestesia local com sedação ou geral.

    7) Quais são os riscos desta cirurgia?

    Desde que realizada dentro de critérios técnicos, raramente a cirurgia de dermolipectomia traz sérias complicações. O preparo do paciente no pré-operatório (emagrecimento, melhora do tônus muscular, etc.) e o controle de patologias pré-existentes (hipertensão, diabetes, etc.) contribuem para diminuir esse risco.

    8) Quais são as intercorrências mais comuns descritas para esta cirurgia?

    Dor discreta a moderada, edema (inchaço), equimose (mancha roxa), seroma (acúmulo de líquido debaixo da pele), deiscência de pontos (pequena abertura da cicatriz), expulsão de fios cirúrgicos na linha da cicatriz (até 6 meses após o procedimento), alterações na sensibilidade da pele, entre outras.

    9) Quais são as intercorrências raras deste procedimento?

    Alterações cicatriciais (hipertrofia, queloide, alargamento, escurecimento, clareamento), necrose da pele próxima a cicatriz (morte do tecido), infecção localizada, hematoma (acúmulo de sangue), tromboembolismo pulmonar, infecção generalizada e morte.

    10) A abdominoplastia corrige o excesso de gordura na região do estômago?

    Nem sempre. A sensação de “estômago alto” depende do tipo de tronco, da proporção entre o tórax e o abdome, da espessura da gordura, da flacidez da musculatura e da curvatura anterior da coluna. A cirurgia é capaz de atenuar este efeito, mas não eliminá-lo.

    11) O que diferencia a distribuição de gordura em homens e mulheres?

    A distribuição de gordura em homens é predominantemente intra-abdominal, enquanto na mulher é extra-abdominal. Abaixo da pele, a gordura no homem obedece a um padrão andrógeno – concentra-se no abdome inferior e cintura – enquanto na mulher obedece a um padrão ginecóide – predomina no abdome central, dorso e coxas.

    12) Qual é a diferença entre a abdominoplastia em mulheres e em homens?

    Para obter um resultado satisfatório em ambos, o emagrecimento prévio é fundamental. No entanto, no homem, esse emagrecimento depende de uma “perda” ou diminuição do conteúdo intra-abdominal, o que torna o preparo pré-operatório mais prolongado e mais difícil.

    13) Quanto tempo demora a cirurgia de abdome?

    Em média, 3 a 4 horas.

    14) Qual é a duração do período de internação?

    Um dia, em casos de evolução normal.

    15) São utilizados curativos? E drenos?

    Sim. Os curativos são trocados no dia seguinte à cirurgia. Os drenos podem ser retirados também no dia seguinte à cirurgia, de acordo com o volume de drenagem. Se o volume for muito grande, entre 48 e 72 horas após o procedimento.

    16) Quando os pontos são retirados?

    Geralmente, entre 15 e 21 dias.

    17) Quanto tempo depois da cirurgia o paciente pode tomar um banho completo?

    24 horas após a cirurgia.

    18) A partir de quanto tempo já é possível observar um resultado satisfatório?

    Após 6 meses, espera-se que 90% do edema (inchaço) já tenha sido reabsorvido. O resultado definitivo começa a ser notado, em média, entre 12 e 18 meses após a cirurgia.

    19) O resultado da cirurgia pode ser alterado por ganho de peso?

    Sim, o resultado pode sofrer alterações conforme o ganho de peso e o grau de elasticidade da pele.

    20) O que pode interferir no resultado da cirurgia em longo prazo?

    Desobediências às recomendações médicas, sedentarismo, ganho de peso, dieta irregular, alterações hormonais (hipotireoidismo, diabetes, etc.), determinados medicamentos, idade avançada, tabagismo, genética desfavorável, flacidez de pele aumentada, grande número de estrias, a ação do tempo, entre outros fatores.

    Recomendações pré-operatórias

    1. Em caso de gripe ou indisposição, comunique à equipe médica até 2 dias antes da cirurgia.
    2. Interne-se no hospital indicado, em jejum de 8 horas, inclusive de água, obedecendo ao horário marcado.
    3. Evite bebidas alcoólicas ou refeições muito pesadas na véspera da cirurgia.
    4. Evite todo e qualquer medicamento para emagrecer, antidepressivos, medicamentos a base de ácido acetilsalicílico, entre outros, por um período de 10 dias antes do ato cirúrgico.
    5. Programe suas atividades sociais, domésticas ou escolares, de modo a não se tornar indispensável a terceiros, por um período de aproximadamente 2 semanas.
    6. Leve todos os exames, inclusive o de risco cirúrgico, com termo de autorização para cirurgia e a declaração de recebimento dos termos devidamente assinados no dia da cirurgia.

    Recomendações pós-operatórias

    1. Evite esforços por 30 dias. Caminhadas longas, são permitidas somente após 30 dias. Ginástica, após 60 dias.
    2. Retire os curativos no segundo dia e tome banho completo.
    3. Ande ligeiramente curvada, por um período de 10 a 15 dias.
    4. Evite alimentos ricos em carboidratos e lipídios. Dê preferência a frutas, legumes e verduras.
    5. Utilize a cinta recomendada juntamente com a espuma por 30 dias, durante 24 horas, retirando-a apenas para o banho. Nos 30 dias subseqüentes, utilize-as somente no período da noite.
    6. Inicie a drenagem linfática manual sete dias após a cirurgia.
    7. Nos primeiros 7 a 10 dias, deite-se de costas com o tronco elevado e as pernas flexionadas com os joelhos apoiados sobre três travesseiros. Não deite de barriga para baixo (em decúbito ventral).
    8. Provavelmente você estará se sentindo muito bem, a ponto de esquecer-se que foi operada recentemente. Cuidado! A euforia poderá levar você a um esforço inoportuno, o que poderá ocasionar certos transtornos.
    9. Não se preocupe com as formas intermediárias nas diversas fases. Tire suas dúvidas com a nossa equipe.